Início » Notícias » RFCC na Camara de Vereadores

RFCC na Camara de Vereadores

16 de abril de 2014

No dia 08 de Abril, a Gerente Executiva da RFCC Marta Kaiser falou para os Vereadores de Maringá. E eles ouviram. Queremos ver, daqui um tempo se eles ESCUTARAM. E queremos ver mais, queremos ver o RESULTADO do trabalho da Frente Parlamentar de Combate ao Câncer. Segue o discurso.

Como estou aqui representando pessoas absolutamente simples vou cumprimentar a todos dizendo apenas BOA NOITE!
Nesta semana temos um hóspede diferente na RFCC. Ele é morador de rua, alcoólatra, sofre convulsões e nos o acolhemos pois na semana passada ele fez uma cirurgia para retirada de um câncer na boca.
Ele mora na Casa de Apoio a semana toda e no final de semana a Casa Lar o acolhe. 
Ele foge da RFCC e vai para rua. Já passou um final de semana inteiro na rua. E volta sujo, cheirando muito mal e bêbado.
Na ultima fuga, nossa assistente social o localizou depois das 22 horas em frente a um boteco sendo atendido pelo SAMU. Isso foi ontem a noite.
E nós o recebemos de volta. 
Porque se falarmos não para ele, QUEM, aqui em Maringá, VAI DIZER SIM?
Ele não tem saúde, não tem casa, não tem profissão e sua dignidade está destroçada.
É muito difícil encontrar quem diga SIM quando é necessário fugir do padrão. Do óbvio. Da burocracia.
Nós da RFCC temos regras e critérios e cumprimos leis. Mas temos coragem de quebrar essas regras e atender uma exceção, especialmente, no nosso caso, quando essa exceção é um ser humano com câncer precisando de ajuda. E temos coragem de brigar com o mundo, se necessário for, para ver os direitos de uma pessoa com câncer serem respeitados.
É COM muito orgulho que digo a vocês que a REDE FEMININA não fala NÃO. Podemos não atender na integra em alguns casos. Mas em nossa instituição as pessoas encontram gente que gosta de gente.
Encontram pessoas competentes, de boa vontade, prestativas e com uma capacidade enorme de se colocar no lugar do outro. Essa é a filosofia da RFCC. Essa é nossa cultura institucional.
Sabemos que há muito problemas no se que se refere à estrutura de saúde aqui em Maringá. Muitos problemas mesmo. Desde uma pessoa com dor esperar TRES DIAS pelo laudo de uma tomografia num corredor da UPA, a falta de gaze e esparadrapo para fazer curativo em uma mulher mastectomizada, o estabelecimento de cotas para o fornecimento de dieta enteral (como se fosse possível escolher quem vai passar fome e quem vai ser alimentado, pacientes com câncer que tem a dieta enteral negada pela Secretaria de Saúde não passam fome pq existe a RFCC). 
Até os casos mais graves como uma criança com crises de paralisia nas pernas não ter nenhuma perspectiva de ser atendida por um neurologista na Rede Pública. Só para constar nós já pagamos consulta particular para esta criança.
Mas não vamos falar de problemas de estrutura, porque essa briga é grande, constante e de longa duração. E nós estamos nessa briga. Sempre. Não apenas aqui em Maringá mas também lá em Brasilia, por meio da CONIACC – Confederação Nacional das Instituições Q Atendem Crianças e Adolescentes com Câncer. Mas hoje a mensagem que queremos deixar não é sobre estrutura.
Vamos falar daquilo que está ao nosso alcance para contribuir com a melhoria da saúde pública de imediato, de qual pode ser nossa contribuição nesse momento, e essa contribuição é SER SIMPLESMENTE UMA PESSOA COM A CAPACIDADE DE SE COLOCAR NO LUGAR DO OUTRO.
O MUNDO PRECISA DE PESSOAS COM A CAPACIDADE DE SE COLOCAR NO LUGAR DO OUTRO. PESSOAS GENEROSAS. PESSOAS PRO-ATIVAS QUE TOMEM ATITUDES. Solidariedade é a dor do outro doendo em mim. Se eu me colocar no lugar do outro e doer, eu vou tomar uma atitude.
Se cada voluntário ou funcionário da RFCC se colocar no lugar do outro vai descobrir que pode fazer mais do que está fazendo. E nós fazemos isso todos os dias.
Se cada Vereador, se colocar no lugar do outro, de verdade, vai descobrir que pode ir além do que faz hoje.
Se cada pessoa aqui presente for capaz de se colocar no lugar do outro vai ter a certeza de que aquilo que faz hoje pelo próximo pode ser ampliado. 
Abordar com gentileza, atender com carinho. E especialmente OUVIR. Por mais que a carga de trabalho seja quase sempre além da capacidade de quem o faz é possível OLHAR NOS OLHOS, tratar com RESPEITO. TRATAR COMO SER HUMANO e não simplesmente como o próximo da fila. Isso por si só faz uma enorme diferença na vida de pessoas fragilizadas pela doença.
Há muitas causas sendo defendidas. A causa da RFCC é o câncer. Nós combatemos a doença todos os dias, em tudo que fazemos. São 19 funcionários e 118 voluntários ativos que trabalham em prol de aproximadamente 300 pacientes com câncer, sem considerar a parte de prevenção.
E por que aprimoramos todos os dias a nossa empatia, a nossa capacidade de nos colocarmos no lugar do outro e porque temos como missão “prover qualidade de vida enquanto houver vida” é que defendemos que é preciso VIVER A VIDA, E NÃO A DOENÇA.
E para viver a vida a pessoa precisa em primeiro lugar ter sua dignidade respeitada. 
E para que os pacientes com câncer, aqui na cidade de Maringá, possam ter a sua dignidade respeitada pedimos a todos vocês que exercitem a capacidade de se colocar no lugar do outro.
Por que se você fizer isso, você não ficar parado. Você vai tomar uma ATITUDE para ajudar a resolver o problema.
A Frente Parlamentar nasce com uma tarefa árdua, de manter e ampliar o apoio da Câmara de Vereadores à ação da Sociedade Civil Organizada de Maringá para trazer as crianças e adolescentes para serem tratadas em Maringá. 
Se depender da RFCC a Frente Parlamentar de Combate ao Câncer terá muito, muito, muito trabalho.
Muito Obrigada!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *